Exames


BAAR - Cultura

Sinônimos:
Cultura de bacilos de Koch, Bacilo Alcool ácido

Método:
Semeadura em meio Ogawa Kudoh

Prazo:
45 dias

Interpretação:
Uso: diagnóstico de processos infecciosos causados por micobactérias. As infecções causadas por micobactérias têm aumentado sua incidência devido ao aumento no número de casos de imunodeficiência e ao desenvolvimento de resistência aos quimioterápicos observado na atualidade. Processos patológicos causados por estes microorganismos são de difícil diagnóstico, devido à característica crônica e inespecífica do processo e à dificuldade de isolamento do germe nos locais afetados. Micobactérias são microorganismos exigentes, e seu cultivo demanda muitos cuidados, que oneram seu custo e condicionam a culturas geralmente muito demoradas. Contudo, a cultura para BAAR oferece sensibilidade adicional à abordagem diagnóstica, além de servir como subsídio epidemiológico. Clinicamente, a opção de pesquisa de micobactérias por PCR melhorou a capacidade do laboratório em responder com boa sensibilidade e maior rapidez à necessidade diagnóstica. Os materiais empregados podem ser variados, desde escarro, sangue, urina, biópsia, etc.

Referência:
Negativa

BAAR - Pesquisa no LCR

Sinônimos:
Bacilos álcool-ácido resitentes, Baciloscopia

Método:
Ziehl - Nelseen

Prazo:
12h

Interpretação:
Ver BAAR - Pesquisa.

Referência:
Negativa

BAAR- Pesquisa

Sinônimos:
Bacilos álcool-ácido resistentes, Baciloscopia

Método:
Coloração Ziehl-Neelsen

Prazo:
48 h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de processos infecciosos causados por micobactérias. As infecções causadas por micobactérias têm aumentado sua incidência devido ao aumento no número de casos de imunodeficiência e ao desenvolvimento de resistência aos quimioterápicos observado na atualidade. Processos patológicos causados por estes microorganismos são de difícil diagnóstico, devido à característica crônica e inespecífica do processo e à dificuldade de isolamento do germe nos locais afetados. A opção de pesquisa de micobactérias por PCR melhorou a capacidade do laboratório em responder com boa sensibilidade e maior rapidez à necessidade diagnóstica. Os materiais empregados podem ser variados, desde escarro, sangue, urina, biópsia, etc.

Referência:
Negativa Positivo : presença de B.A.A.R A Pesquisa de BAAR, compreende as pesquisas de Mycobacterium tubercolosis e Mycobacterim leprae. *** Outras tecnicas disponiveis em nossa rotina*** 1. Detecção de M. tuberculosis por PCR 2. Pesquisa de anticorpos (Sorologia), útil em todas situações clinicas e principalmente na Tu - berculose extra pulmonar.

BACILO DIFTÉRICO METACROMÁTICO

Sinônimos:

Método:
Layborn

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: auxiliar no diagnóstico da difteria. A difteria é uma patologia causada pelo Corynebacterium diphteriae, caracterizando-se por inflamação na faringe, febre, fadiga e formação de pseudomembrana típica, que interfere com a via respiratória, coração, sistema nervoso e rins pela formação de toxina diftérica. Seu diagnóstico é geralmente clínico, mas a pesquisa de bacilos metacromáticos cuidadosamente coletados a partir da face anterior da pseudomembrana pode ser um importante auxiliar diagnóstico. O cultivo de corinebactérias é possível, mas seu uso clínico é bastante reduzido.

Referência:
Identificação presuntiva - Caracteres morfologicos Bacilos com Granulaçoes Metacromaticas - BGP

BACTERIOSCÓPICO - Conjuntival

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: avaliação da flora bacteriana.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Escarro

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: avaliação da flora bacteriana.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Esperma

Sinônimos:
Estudo do esperma, Estudo do líquido seminal

Método:
Microscopia (Coloracao de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de processos infecciosos do trato seminal. O esperma é um fluido estéril até o contato com a uretra, onde pode ser contaminado por germes colonizantes da flora normal, geralmente Gram-Positivos. O encontro de quantidades significativas de bactérias, especialmente acompanhado de presença de leucócitos (polimorfonucleares) pode auxiliar no estabelecimento do diagnóstico de infecções do trato seminal agudas ou crônicas (prostatites, epididimites, vesiculites, ou mesmo uretrites). Os dados são mais bem interpretados clinicamente em amostras repetidas, e na presença de resultados de cultura compatíveis (ver bacterioscopia de secreção prostática).

Referência:
Hemacias : < 200/mm3 Trichomonas vaginalis : Negativo Microscopia Gram : Ausência de bactérias Leucócitos : < 1000/mm3

BACTERIOSCÓPICO - Líquor

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: diagnóstico laboratorial das meningites; detecção de bactérias intra e extracelulares, informando a morfologia e caracteres tintoriais.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Nasofaringe

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: avaliação da flora bacteriana.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Orofaringe

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: pesquisa do predomínio de cocos Gram-Positivos com caracteres morfológicos de Streptococcus spp. e da presença da associação fuso-espirilar (angina de Vincent).

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Secreção de ouvido

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: pesquisa de fungos; avaliação da flora bacteriana.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Secreção nasal

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: avaliação da flora bacteriana.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Secreção uretral

Sinônimos:
Gram

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: pesquisa de Trichomonas (coloração Giemsa), fungos, diplococos Gram-Negativos, bacilos Gram-Variáveis parasitando células epiteliais (clue cells) com morfologia de Gardnerella; relato da relação leucócitos/células epiteliais. Algumas bactérias isoladas habitualmente fazem parte da flora bacteriana do meato anterior da uretra. Por esta razão é muito importante observar os cuidados especiais na coleta da secreção.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Urina 1º Jato

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: diagnóstico e controle de tratamento de uretrites. O melhor espécime representativo da uretra é a secreção uretral, obtida por drenagem espontânea ou por raspado da mucosa (colhida com swab ou alça). Na impossibilidade de coleta de secreção uretral, utiliza-se comumente o primeiro jato urinário para a avaliação de infecção uretral. Muito usado para controle pós-tratamento das uretrites.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Urina Jato Médio

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: diagnóstico presuntivo inicial de processos infecciosos localizados. A observação microscópica dos materiais após coloração específica (Gram e outras, quando necessário) fornece dados importantes no manejo de processos infecciosos localizados. Uma vez que os dados de cultura são demorados, a informação diagnóstica da bacterioscopia permite saber se há processo infeccioso maciço, com ou sem resposta inflamatória, e por qual grupo de microorganismos (cocos ou bacilos; Gram-Negativos ou Gram-Positivos). Estes dados, aliados ao conhecimento de quais organismos tipicamente infectam determinados sítios, são capazes de guiar a instituição terapêutica antibiótica inicial até o resultado da cultura e o antibiograma estarem disponíveis. Normalmente, o material é avaliado em relação à quantificação e qualificação de leucócitos na amostra (expresso como número de polimorfonucleares/linfomononucleares por campo) e qualificação de bactérias. A presença de flora sugestiva anaeróbia é relatada sempre que necessário, assim como a presença de fungos e parasitas.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BACTERIOSCÓPICO - Vários materiais

Sinônimos:

Método:
Microscopia (Coloração de Gram)

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: avaliação da flora bacteriana.

Referência:
Bacterioscopia negativa

BANDA OLIGOCLONAL , LCR.

Sinônimos:
Proteinograma

Método:
Focalização Isoelétrica,Nefelometria, Enzimático/Automatizado, Imunoturbidimetria

Prazo:
após 72 horas

Interpretação:
Uso: auxílio ao diagnóstico dos processos inflamatórios do sistema nervoso central (esclerose múltipla, panencefalite esclerosante, outras doenças degenerativas).

Referência:
Proteinas totais : 8,0 - 32,0 mg/dL Albumina no LCR : 0,0 - 35,0 mg/dL IgG no LCR : 0,48 - 5,86 mg/dL Bandas Oligoclonais : ausente Metodologia antiga: Focalização Isoelétrica Valores de referência antigos: Proteinas totais : até 40 mg/dL IgG no LCR : 0,3 - 3,4 mg/dL Atenção: Nova metodologia e valores de referência a partir de 20/08/12.

BANDA OLIGOCLONAL , Soro e LCR - Focalização Isoelétrica

Sinônimos:
Proteinograma

Método:
Focalização Isoelétrica/Nefelometria/Colorimétrico/Imunoturbidimetria

Prazo:
após 72 horas

Interpretação:
Uso: auxílio ao diagnóstico dos processos inflamatórios do sistema nervoso central (esclerose múltipla, panencefalite esclerosante, outras doenças degenerativas).

Referência:
ATENÇÃO: Novos valores de referência e metodologia a partir de 14/08/12. Proteínas totais no LCR: 8,0 - 32 mg/dL Albumina no LCR : 0,0 - 35,0 mg/dL Albumina no soro : 3,40 - 5,20 g/dL IgG no LCR : 0,48 - 5,86 mg/dL IgG Soro : 0 a 1 ano : 231,0 a 1411,0 mg/dL 1 a 3 anos : 453,0 a 916,0 mg/dL 4 a 6 anos : 504,0 a 1464,0 mg/dL 7 a 9 anos : 572,0 a 1474,0 mg/dL 10 a 11 anos : 698,0 a 1560,0 mg/dL 12 a 13 anos : 759,0 a 1549,0 mg/dL 14 a 15 anos : 716,0 a 1711,0 mg/dL 16 a 19 anos : 549,0 a 1584,0 mg/dL > 19 anos : 700,0 a 1600,0 mg/dL Índice de IgG : 0,30 - 0,85 Bandas Oligoclonais : Ausente Metodologia antiga: Focalização Isoelétrica Valores de referência antigos: IgG no LCR : 0,3 - 3,4 mg/dL

BARBITURATO

Sinônimos:

Método:
Imunoenzimático

Prazo:
12 horas

Interpretação:
Uso :

Referência:
Negativo

BARREIRA HEMATO - ENCEFALICA

Sinônimos:

Método:
Nefelometria

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: A dosagem dos níveis de albumina no LCR são usados principalmente para avaliar a integridade da barreira hematoencefálica. O grau de permeabilidade pode ser avaliado dosando a albumina no LCR e soro ao mesmo tempo

Referência:
Albumina no líquor : até 35,0 mg/dL Albumina no soro : 3,5 - 5,0 g/dL IgG no líquor : 0,3 - 3,4 mg/dL IgG no soro : 672 - 1440,0 mg/dL (adulto) Índice de IgG : até 0,8 Síntese de IgG : até 3,3

BARTONELA - Anticorpos

Sinônimos:
Arranhadura de gato

Método:
Imunofluorescência Indireta

Prazo:
20 dias úteis

Interpretação:

Referência:
Bortonela henselae Anticorpos IgG :Negativo = inferior a 1/80 Anticorpos IgM :Negativo = inferior a 1/10

BENEDICT - Açucares Redutores

Sinônimos:

Método:
Colorimétrico

Prazo:
30 dias

Interpretação:
VER Erros Inatos do Metabolismo

Referência:
Negativo

BENZODIAZEPÍNICOS

Sinônimos:

Método:
Imunoenzimático Colorimétrico

Prazo:
12 horas

Interpretação:
Uso: detecção de drogas

Referência:
Negativo

BETA - CAROTENO

Sinônimos:
Caroteno

Método:
HPLC

Prazo:
20 dias

Interpretação:
O betacaroteno é um pigmento carotenóide, antioxidante natural (inibe radicais livres, prevenindo o envelhecimento), beneficia a visão noturna, aumenta a imunidade, dá elasticidade à pele, aumenta o brilho dos cabelos e o fortalecimento das unhas, além de atuar no metabolismo de gorduras. É uma das formas de se obter indiretamente a vitamina A.

Referência:
40,0 a 322,0 ng/mL

BETA 2 MICROGLOBULINA

Sinônimos:
B 2M

Método:
Quimioluminescênica

Prazo:
24h após

Interpretação:
Uso: monitoramento de função renal; marcador de rejeição de transplantes (especialmente renal); avaliação e prognóstico de mielomas, leucemia linfocítica crônica e atividade de SIDA. Sua dosagem urinária pode estar elevada em dano tubular. Proteínas que passam pela membrana basal glomerular no rim sofrem filtração diferenciada. A permeabilidade é inversamente proporcional ao peso molecular. Apesar disto, somente quantidades diminutas de proteína são detectáveis na urina, porque grande parte das proteínas é reabsorvida nos túbulos. A beta-2 microglobulina apresenta um PM de 12000 daltons, pertencendo à cadeia leve dos antígenos HLA de membrana. Consiste de duas cadeias polipeptídicas: uma cadeia pesada com estruturas antigênicas e uma cadeia leve. Sua determinação sérica auxilia na avaliação clínica da atividade imune celular e como marcador tumoral de linfócitos. Sua avaliação urinária permite observar distúrbios de filtração renal. A proteína é sintetizada no sistema linfático. Valores aumentados: mieloma múltiplo, LLC, alguns linfomas não-Hodgkin malignos, outras patologias que promovam ativação clonal de linfócitos, doença de Crohn, hepatites, sarcoidose, vasculites, hipertireoidismo, infecções virais. Valores diminuídos: algumas patologias neoplásicas.

Referência:
ATENÇÃO: Novos valores de referência a partir de 13/08/2012. 609,0 a 2164,0 ng/mL Valores de referência antigos: 1010,0 a 2730,0 ng/mL

BETA 2 MICROGLOBULINA (mg/L)

Sinônimos:
B 2M

Método:
Quimioluminescênica

Prazo:
24h após

Interpretação:
Uso: monitoramento de função renal; marcador de rejeição de transplantes (especialmente renal); avaliação e prognóstico de mielomas, leucemia linfocítica crônica e atividade de SIDA. Sua dosagem urinária pode estar elevada em dano tubular. Proteínas que passam pela membrana basal glomerular no rim sofrem filtração diferenciada. A permeabilidade é inversamente proporcional ao peso molecular. Apesar disto, somente quantidades diminutas de proteína são detectáveis na urina, porque grande parte das proteínas é reabsorvida nos túbulos. A beta-2 microglobulina apresenta um PM de 12000 daltons, pertencendo à cadeia leve dos antígenos HLA de membrana. Consiste de duas cadeias polipeptídicas: uma cadeia pesada com estruturas antigênicas e uma cadeia leve. Sua determinação sérica auxilia na avaliação clínica da atividade imune celular e como marcador tumoral de linfócitos. Sua avaliação urinária permite observar distúrbios de filtração renal. A proteína é sintetizada no sistema linfático. Valores aumentados: mieloma múltiplo, LLC, alguns linfomas não-Hodgkin malignos, outras patologias que promovam ativação clonal de linfócitos, doença de Crohn, hepatites, sarcoidose, vasculites, hipertireoidismo, infecções virais. Valores diminuídos: algumas patologias neoplásicas.

Referência:
0,61 a 2,17 mg/L Valores de referência antigos: 1,0 a 2,7 mg/L ATENÇÃO: Novos valores de referência a partir de 13/08/2012.

BETA 2 MICROGLOBULINA - Urinária

Sinônimos:
B 2M

Método:
Quimioluminescênica

Prazo:
24h após

Interpretação:
Uso: monitoramento de função renal; marcador de rejeição de transplantes (especialmente renal); avaliação e prognóstico de mielomas, leucemia linfocítica crônica e atividade de SIDA. Sua dosagem urinária pode estar elevada em dano tubular. Proteínas que passam pela membrana basal glomerular no rim sofrem filtração diferenciada. A permeabilidade é inversamente proporcional ao peso molecular. Apesar disto, somente quantidades diminutas de proteína são detectáveis na urina, porque grande parte das proteínas é reabsorvida nos túbulos. A beta-2 microglobulina apresenta um PM de 12000 daltons, pertencendo à cadeia leve dos antígenos HLA de membrana. Consiste de duas cadeias polipeptídicas: uma cadeia pesada com estruturas antigênicas e uma cadeia leve. Sua determinação sérica auxilia na avaliação clínica da atividade imune celular e como marcador tumoral de linfócitos. Sua avaliação urinária permite observar distúrbios de filtração renal. A proteína é sintetizada no sistema linfático. Valores aumentados: mieloma múltiplo, LLC, alguns linfomas não-Hodgkin malignos, outras patologias que promovam ativação clonal de linfócitos, doença de Crohn, hepatites, sarcoidose, vasculites, hipertireoidismo, infecções virais. Valores diminuídos: algumas patologias neoplásicas.

Referência:
Até 300,0 ng/mL

BETA-GLICURONIDASE, plasma

Sinônimos:
Mucopolissacaridose tipo VII e Mucolipidose

Método:
Ensaio Enzimático

Prazo:
45 dias

Interpretação:
A Síndrome de Sly é também conhecida como Mucopolissacaridose do Tipo VII (MPS VII). As Mucopolissacaridoses (MPS) são doenças do metabolismo e hereditárias causadas por erros que levam a falta de funcionamento adequado de determinadas enzimas. No lisossomo, existem mais de trezentas enzimas para fazer a digestão de cada substância do organismo e quando existe uma enzima que não funciona temos uma doença de depósito lisossomal, pois como a substância não é digerida será acumulado dentro do lisossomo, deixando a célula grande. Síndrome de Sly ou mucopolissacaridose tipo VII é uma doença extremamente rara caracterizada por uma deficiência da enzima lisossomal chamada beta-glucuronidase, acumulando nesse caso dermatan e heparansulfatos.

Referência:
30,0 a 300,0 nmol/h/mL

BILIRRUBINAS

Sinônimos:

Método:
Enzimático/automatizado

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: investigação e monitoramento de doenças e condições hepatobiliares e hemolíticas. A bilirrubina total compreende a fração conjugada, não conjugada e delta. A bilirrubina direta compreende a fração delta e conjugada, enquanto que a bilirrubina indireta compreende a fração não conjugada. Altos níveis de bilirrubina total e direta podem ser vistos em doença hepatocelular e biliar (intra ou extra-hepática). Bilirrubina indireta elevada pode ocorrer em casos onde a taxa de produção de bilirrubina excede a taxa de conjugação, especialmente em casos de hemólise ou anemia megaloblástica, além de síndrome de Gilbert. Neonatos exibem icterícia fisiológica com bilirrubina indireta. Várias substâncias medicamentosas são associadas com aumento de bilirrubina, e mais raramente, diminuição espúria. Pele amarelada (ictérica) com níveis normais de bilirrubina pode estar associada a hipercarotenemia.

Referência:
Crianças 0 a 1 dia : Bilirrubina Total : < 5,8 mg/dL 1 a 2 dias : Bilirrubina Total : < 8,2 mg/dL 3 a 5 dias : Bilirrubina Total : < 11,7 mg/dL Adultos Bilirrubina Total : 0,2 à 1,0 mg/dL Bilirrubina Direta : 0,1 à 0,4 mg/dL Bilirrubina Indireta : 0,1 à 0,6 mg/dL

BIOTINIDASE

Sinônimos:
Deficiência de Biotinidase

Método:
Fluorimetria

Prazo:
3 dias

Interpretação:
Uso: diagnóstico de deficiência da biotinidase. A deficiência da biotinidase é uma doença hereditária autossômica recessiva, que pode ocorrer na forma profunda ou parcial. A forma profunda é caracterizada por achados cutâneos e neurológicos, episódios epilépticos, hipotonia, atraso de desenvolvimento, etc. Os sintomas da forma parcial podem ser os mesmos, com menor intensidade. Os sintomas geralmente melhoram após o diagnóstico e a suplementação dietética com biotina. O diagnóstico se faz atualmente a partir da triagem neonatal (teste do pezinho). Resultados alterados para biotinidase devem ser confirmados com este teste. Indivíduos afetados com a forma profunda geralmente possuem atividade enzimática inferior a 10% do valor mínimo referencial, enquanto que indivíduos afetados pela forma parcial apresentam 10-30% de atividade. Testes de triagem neonatal, por sua natureza de triagem, podem resultar falsos positivos, e este teste confirmatório tem muita importância na decisão terapêutica. Alguns medicamentos podem afetar a atividade enzimática no sangue, e testes alterados devem ser confirmados sem o fator farmacológico, quando se suspeita desta interferência.

Referência:
Negativo

BIOTINIDASE, plasma

Sinônimos:
Deficiencia de Biotinidase

Método:
Ensaio Enzimático

Prazo:
45 dias

Interpretação:
A biotinidase é uma importante enzima no nosso organismo. Pessoas com deficiência da biotinidase não possuem atividade da biotinidase suficiente. Indivíduos com deficiência da biotinidase possuem a atividade da enzima inferior a 10% do normal e às vezes não têm nenhuma atividade. Estas pessoas com atividade da biotinidase inferior a 10% da média normal têm deficiência profunda de biotinidase. Os pais de crianças com deficiência da biotinidase têm aproximadamente 50% da atividade normal da biotinidase, o que é suficiente para prevenir problemas de saúde. As pessoas que possuem a atividade da biotinidase entre 10 e 30% do normal possuem deficiência parcial de biotinidase. As duas formas requerem tratamento. A figura abaixo ilustra os percentuais de atividades da biotinidase no sangue e os compara com a atividade normal.

Referência:
5,1 a 10,0 nmol/min/mL

BLASTOMICOSE - Anticorpos (Paracoccidioidomicose)

Sinônimos:
Paracoccidioidomicose Anticorpos

Método:
Imunodifusão radial

Prazo:
5 dias

Interpretação:
Uso: diagnóstico de Paracoccidioidomicose. A Blastomicose Sul-Americana (Paracoccidioidomicose), causada pelo fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis, é uma doença crônica granulomatosa que virtualmente pode atingir a todos os tegumentos, causando formas superficiais, profundas e mucocutâneas. As formas pulmonares têm sido crescentemente apontadas como complicadores de pacientes imunossuprimidos. Seu diagnóstico baseia-se especialmente no isolamento e identificação do agente específico, mas, em virtude do processo cultural ser demorado, do exame de pesquisa direta apresentar baixa sensibilidade, e da forma clínica inespecífica que os casos podem assumir, algumas vezes é necessária a utilização da sorologia. A pesquisa de anticorpos anti-paracoccidioides torna-se importante quando se observam títulos muito elevados de anticorpos, ou quando existe aumento significativo de títulos entre duas coletas espaçadas. O uso desta sorologia para monitorar tratamento não é muito indicado pelo fato do decréscimo de títulos ser relativamente lento. O uso de classe IgM Específica não apresenta grande utilidade pela característica crônica do processo infeccioso.

Referência:
Não reagente Pesquisa de Anticorpos anti Blastomicose (Paracoccidioidomicose).

BLASTOMICOSE - Anticorpos no LCR

Sinônimos:
Pesquisa de anticorpos anti - Paracoccidioides

Método:
Fixação de Complemento e Contraimunoletroforese

Prazo:
5 dias

Interpretação:
Ver Blastomicose - Anticorpos.

Referência:
Não reagente

BLASTOMICOSE - Pesquisa

Sinônimos:
Paracoccidioidomicose

Método:
A fresco e corado pelo GRAM ou MGG

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de processos infecciosos por Blastomyces dermatitis e Paracoccidioides brasiliensis (blastomicose sul-americana). Os fungos dimórficos (leveduras a >35oC e filamentos a temperatura ambiente) são espécies patogênicas e potencialmente virulentas, que se instalam em indivíduos com fatores positivos à sua instalação. Geralmente causam micoses ditas profundas, com acometimento de vísceras ou tecidos cutâneos mais profundos. A espécie mais comumente encontrada nestes casos no território brasileiro é o Paracoccidioides brasiliensis, anteriormente denominado Blastomyces brasiliensis, daí a confusão com blastomicose, causada pelo Blastomyces dermatitis, pouco freqüente no Brasil. Interferentes: a coleta é crítica nestes casos, devendo ser realizada por profissional experiente, especialmente da interface das lesões em caso de lesões externas. A coleta de materiais internos deve ser corretamente orientada, especialmente quando se trata de escarro (prefere-se lavado ou escovado broncoalveolar). O envio de amostras de outras regiões deve ser discutido em relação à estabilização da amostra ou preparo prévio.

Referência:
Negativa

BNP - PEPTÍDEO NATRIURÉTICO

Sinônimos:

Método:
Quimioluminescência

Prazo:
24 h

Interpretação:
Uso : diagnóstico , prognóstico e tratamento da insuficiência cardíaca crônica (ICC). O proBNP, composto por 108 aminoácidos, é secretado principalmente pelo ventrículo, neste processo, sofre uma clivagem em BNP (77-108) fisiologicamente ativo e no fragmento N-terminal, NT-proBNP (1-76). A insuficiência cardíaca crônica é um síndrome clínico provocado pela limitação da função cardíaca de bombeamento. A gravidade da insuficiência cardíaca é classificada por fases, com base nos sintomas ( classificação de New York Association - NYHA ). Para o diagnóstico da insuficiência ventricular esquerda são utilizados testes clínicos e meios complementares de diagnósticos, como a imagiologia. O significado clínico dos peptídeos natriuréticos no controle da função do aparelho cardiovascular foi demonstrado e estudos iniciais revelam que os peptídeos natriuréticos podem ser utilizados para o diagnóstico de problemas associados a insuficiência ventricular esquerda. Nos indivíduos com insuficiência ventricular esquerda, as concentrações séricas e plasmáticas do BNP aumentam. As alterações registradas na concentração do NT-proBNP pode ser utilizadas para avaliar o sucesso do tratamento em doentes com insuficiência ventricular esquerda. Além desta aplicação pode ser útil para verificar se os sintomas tem causas cardíacas ou não cardíacas.

Referência:
< 45 anos : 0,0 a 85,0 pg/mL 45 a 54 anos : 0,0 a 87,0 pg/mL 55 a 64 anos : 0,0 a 119,0 pg/mL 65 a 74 anos : 0,0 a 160,0 pg/mL > 75 anos : 0,0 a 254,0 pg/mL

BORDETELLA - Anticorpos IgA

Sinônimos:
Anticorpos IgA Anti-Bordetella

Método:
ELISA

Prazo:
Após 15 dias uteis

Interpretação:
Exame útil no diagnóstico da coqueluche. Níveis detectáveis de anticorpos da classe IgG podem ser visto em indivíduos vacinados em todas as idades. Este teste (IgG) é somente usado para detectar doença ativa se forem avaliados soros pareados. Os anticorpos da classe IgA e IgM estão presentes na fase ativa da doença. A presença isolada de anticorpos da classe IgM pode indicar infecção aguda e é considerado sugestivo de infecção recente ou presuntivo diagnóstico com suporte da condição clínica do paciente

Referência:
Não Reagente: < 19,0 U/mL Inconclusivo: 19,0 - 26,0 U/mL Reagente: > 26,0 U/mL

BORDETELLA - Anticorpos IgA, IgG e IgM

Sinônimos:
Anticorpos IgA Anti-Bordetella

Método:
ELISA

Prazo:
Após 15 dias uteis

Interpretação:
Exame útil no diagnóstico da coqueluche. Níveis detectáveis de anticorpos da classe IgG podem ser visto em indivíduos vacinados em todas as idades. Este teste (IgG) é somente usado para detectar doença ativa se forem avaliados soros pareados. Os anticorpos da classe IgA e IgM estão presentes na fase ativa da doença. A presença isolada de anticorpos da classe IgM pode indicar infecção aguda e é considerado sugestivo de infecção recente ou presuntivo diagnóstico com suporte da condição clínica do paciente.

Referência:
IgA(U/mL) IgG(U/mL) IgM(U/mL) Não Reagente < 19 < 14 < 11 Inconclusivo 19 - 26 14 - 18 11 - 17 Reagente > 26 > 18 > 17

BORDETELLA - Anticorpos IGG

Sinônimos:
Anticorpos IgG Anti-Bordetella, Coqueluche

Método:
ELISA

Prazo:
Após 15 dias úteis

Interpretação:
Exame útil no diagnóstico da coqueluche. Níveis detectáveis de anticorpos da classe IgG podem ser visto em indivíduos vacinados em todas as idades. Este teste (IgG) é somente usado para detectar doença ativa se forem avaliados soros pareados. Os anticorpos da classe IgA e IgM estão presentes na fase ativa da doença. A presença isolada de anticorpos da classe IgM pode indicar infecção aguda e é considerado sugestivo de infecção recente ou presuntivo diagnóstico com suporte da condição clínica do paciente.

Referência:
Não Reagente: < 14,0 U/mL Inconclusivo: 14,0 - 18,0 U/mL Reagente: > 18,0 U/mL

BORDETELLA - Anticorpos IgM

Sinônimos:
Anticorpos IgM Anti-Bordetella

Método:
ELISA

Prazo:
Após 15 dias úteis

Interpretação:
Exame útil no diagnóstico da coqueluche. Níveis detectáveis de anticorpos da classe IgG podem ser visto em indivíduos vacinados em todas as idades. Este teste (IgG) é somente usado para detectar doença ativa se forem avaliados soros pareados. Os anticorpos da classe IgA e IgM estão presentes na fase ativa da doença. A presença isolada de anticorpos da classe IgM pode indicar infecção aguda e é considerado sugestivo de infecção recente ou presuntivo diagnóstico com suporte da condição clínica do paciente.

Referência:
Não Reagente: < 11,0 U/mL Inconclusivo: 11,0 - 17,0 U/mL Reagente: > 17,0 U/mL

BORRELIA BURGDORFERI (Doença de Lyme)

Sinônimos:
Doença de Lyme, Borreliose

Método:
Quimioluminescência

Prazo:
48h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de doença de Lyme. A doença de lyme é uma doença multissistêmica de etiologia infecciosa causada pelo microorganismo Borrelia burgdorferi e é transmitida ao homem e animais pela picada de carrapatos Ixodideos .Foi descoberta nos Estados Unidos da América do Norte há 15 anos e desde então tem sido diagnosticada em vários países. No Brasil,apesar de ser pouco conhecida, já existem suspeitas de que poderá se tornar um sério problema. O cão e os animais silvestres representam o foco natural da doença. A transmissão se dá pela picada de carrapatos, que levam a enfermidade do animal doente para outros animais e o homem. A doença se manifesta com uma irritação local da picada podendo desenvolver uma lesão de pele (mancha rosada) que vai aumentando com o tempo. Podem aparecer náuseas , dores de cabeça, na nuca, nas juntas e músculos, febre e cansaço. Se não houver tratamento , a doença de Lyme poderá atingir o sistema nervoso, provocando meningite, paralisia facial ( paralisia de Bell) e outros problemas com os nervos cranianos. Fraqueza e ou dor nas mãos,braços, pés e/ou pernas. Distúrbios cardíacos, também, podem aparecer após poucas semanas do EM, como bloqueio atrioventricular, miocardite aguda ou aumento da área cardíaca. Meses após os sintomas inicias, podem surgir edemas articulares, principalmente dos joelhos, que desaparecem e reaparecem durante vários anos. A doença pode ficar latente por longos períodos, após os quais apresenta manifestações neurológicas crônicas tardias, como encefalopatias, polineuropatia ou leucoencefalite. No líquido encefaloraquidiano, encontram-se pleocitose linfocítica e proteínas elevadas.

Referência:
Anticorpos IgG : Não reagente IgM : Não reagente Atenção: Nova metodologia a partir de 22/10/2009.

BRUCELLA ABORTUS, ANTICORPOS TOTAIS

Sinônimos:
Wright, Aglutinação para Brucelose

Método:
Aglutinação Direta

Prazo:
24 horas

Interpretação:
- A brucelose é uma infecção zoonótica causada por cocobacilos gram-negativos intracelulares - Brucella abortus, B. suis, B. canis e B. mellitensis - e que pode afetar essencialmente qualquer órgão. A ingestão de leite e de queijo não pasteurizado de vaca ou cabra pode ser a origem da infecção. De qualquer modo, a exposição ocupacional representa o meio de transmissão predominante (açougueiros, abatedores de animais, fazendeiros e veterinários). As aglutininas contra o Brucella podem ser detectadas a partir da segunda semana nos casos de infecção aguda, alcançando níveis máximos entre a terceira e a sexta semana. Títulos de aglutininas iguais ou superiores a 1/80 sugerem doença ativa. Um aumento de quatro vezes nos títulos, entre duas amostras pareadas, colhidas com intervalo de 14 dias, é também fortemente sugestivo do diagnóstico de infecção aguda. O antígeno B. abortus utilizado no teste de aglutinação é grupo-específico, e não espécie-específico. Se for aventada uma infecção causada por outra espécie de Brucella, recomenda-se fazer a pesquisa de anticorpos contra o antígeno específico. Títulos menores que 1/80 podem ser decorrentes da persistência de anticorpos, podendo indicar ou não constância de infecção. Em decorrência de reatividade cruzada, títulos menores que 1/80 (1/40, 1/20) podem ser encontrados em pessoas previamente vacinadas contra febre tifóide ou após infecções pela Yersinia enterocolitica, pela Francisella tularensis e pelo Vibrio cholerae. Indivíduos que tenham realizado teste intradérmico com antígenos de Brucella para fins de diagnóstico podem também apresentar reações com títulos de 1/40 ou 1/20.

Referência:
Não Reagente NOTA: Aglutininas contra Brucella podem ser detec- tadas a partir da 2a. semana nos casos de infec- ção aguda, alcaçando níveis máximos entre a 3a. e 6a. semana. Títulos de aglutininas iguais ou maio- res que 1/80 são sugestivos de doença ativa. Um aumento de 4 vezes no título em duas amostras pa- readas colhidas com intervalo de 14 dias é também fortemente sugestivo do diagnóstico de infecção aguda. Títulos menores que 1/80 podem ser devido à persistência de anticorpos em indivíduos previa- mente infectados pela Brucella ou ainda decorren- tes de reatividade cruzada após infecção pela Yersínia enterocolítica, Francisella tularensis e pelo Víbrio cholerae ou após vacinação contra fe- bre tifóide.

BRUCELOSE

Sinônimos:
Rosa Bengala

Método:
Aglutinação Bacteriana

Prazo:
24 horas

Interpretação:
Uso: diagnóstico e avaliação da brucelose. A brucelose é uma patologia febril aguda, causada por bactérias do gênero Brucella sp. Esta zoonose pode afetar essencialmente qualquer órgão, e sua contaminação se dá geralmente por ingestão de alimentos contaminados de origem animal. É associada à contaminação ocupacional em veterinários, fazendeiros, açougueiros e trabalhadores do campo. Os processos infecciosos podem ser subclínicos e raramente são crônicos. Seu diagnóstico definitivo é realizado por hemocultura específica, mas sua característica transitória faz com que a sorologia seja o principal dado diagnóstico. Sua interpretação pode ser complicada pela presença de infecções subclínicas e níveis persistentes de anticorpos. Títulos IgG específicos crescentes na presença de títulos IgM específicos praticamente estabelecem o diagnóstico. Contudo, devido ao fato de que a sorologia é geralmente realizada tardiamente, é difícil a observação de títulos IgG crescentes. De toda forma, títulos altos persistentes podem diagnosticar a doença crônica, e aumento de títulos IgG pode estar associado à recidiva. Casos de tularemia podem estar associados à presença de altos títulos de anticorpos anti-Brucella.

Referência:
Não reagente

BRUCELOSE - Anticorpos IgG

Sinônimos:

Método:
Enzimaimunoensaio

Prazo:
24 horas

Interpretação:
Uso: diagnóstico e avaliação da brucelose. A brucelose é uma patologia febril aguda, causada por bactérias do gênero Brucella sp. Esta zoonose pode afetar essencialmente qualquer órgão, e sua contaminação se dá geralmente por ingestão de alimentos contaminados de origem animal. É associada à contaminação ocupacional em veterinários, fazendeiros, açougueiros e trabalhadores do campo. Os processos infecciosos podem ser subclínicos e raramente são crônicos. Seu diagnóstico definitivo é realizado por hemocultura específica, mas sua característica transitória faz com que a sorologia seja o principal dado diagnóstico. Sua interpretação pode ser complicada pela presença de infecções subclínicas e níveis persistentes de anticorpos. Títulos IgG específicos crescentes na presença de títulos IgM específicos praticamente estabelecem o diagnóstico. Contudo, devido ao fato de que a sorologia é geralmente realizada tardiamente, é difícil a observação de títulos IgG crescentes. De toda forma, títulos altos persistentes podem diagnosticar a doença crônica, e aumento de títulos IgG pode estar associado à recidiva. Casos de tularemia podem estar associados à presença de altos títulos de anticorpos anti-Brucella.

Referência:
Índice Interpretação Inferior a 9,0 Não Reagente Entre 9,0 e 11,0 Inconclusivo Superior a 11,0 Reagente

BRUCELOSE - Anticorpos IgM

Sinônimos:

Método:
Enzimaimunoensaio

Prazo:
Após 24 horas

Interpretação:
Ver Brucelose - Anticorpos IgG.

Referência:
Índice Interpretação Inferior a 9,0 Não Reagente Entre 9,0 e 11,0 Inconclusivo Superior a 11,0 Reagente

© 2020. Vitale Laboratório. Todos os direitos reservados.
Topo