Exames


MACONHA - CANABINÓIDES - THC

Sinônimos:
Pesquisa de maconha

Método:
Imunoenzimático Colorimétrico

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: detecção de drogas de abuso.

Referência:
Negativo

MAGNÉSIO

Sinônimos:
Mg, magnesemia

Método:
Colorimétrico

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: avaliação de distúrbios hidro-eletrolíticos. O magnésio é um importante íon ativador, participando da função de várias enzimas envolvidas nas reações de transferência de fosfato, exercendo efeitos fisiológicos no sistema nervoso (atua diretamente na junção mioneural). Cerca de 50% do magnésio corpóreo total encontra-se no estado insolúvel no osso. Apenas 5% estão presentes como cátions extracelulares; os restantes 45% estão contidos nas células, como cátions intracelulares. A concentração plasmática normal é de 1,5 a 2,5 mEq/L, com cerca de um terço ligado à proteína e dois terços existindo como cátion livre. A excreção do íon magnésio ocorre via renal. A presença de concentrações alteradas de magnésio no plasma provoca alterações associadas com o cálcio. A hipermagnesemia suprime a secreção do PTH, com conseqüente hipocalcemia. A depleção severa e prolongada de magnésio prejudica a secreção de PTH resultando em hipocalcemia. A hipomagnesemia também pode alterar a resposta ao PTH no órgão alvo. Valores aumentados: terapia diurética, hiperaldosteronismo, hiperparatireoidismo, hipertireoidismo, síndrome de Bartter, hipercalcemia, transplante de rim. Valores diminuídos: diarréia crônica, desvio do intestino delgado, abuso de laxantes, desnutrição, alcoolismo. Interferentes: aminoglicosídeos +, anfotericina B +.

Referência:
1,58 a 2,55 mg/dL

MAGNÉSIO URINÁRIO - 24h

Sinônimos:

Método:
Colorimétrico

Prazo:
12h

Interpretação:
Ver Magnésio.

Referência:
24,0 a 255,0 mg/24h

MALÁRIA - Anticorpos (IgG,IgM,IgA)

Sinônimos:
Pesquisa de Malária

Método:
Imunocromatográfico (antígeno recombinante)

Prazo:
24 h

Interpretação:
Ver HEMATOZOÁRIOS - Pesquisa.

Referência:
Não Reagente Testes comparativos com a microscopia demonstram que o teste imunocromatográfico com antígeno recombiante tem uma sensibilidade de 87%(87/100) especificidade de 99,5% (199/200)

MALONDIALDEIDO

Sinônimos:
MDA; dialdeído malônico

Método:
Espectrofotometria

Prazo:
15 dias

Interpretação:
Uso: avaliação do dano causado por este radical livre. O malonilaldeído (MDA) atua lesando membranas celulares, como produto da lipoperoxidação.

Referência:
1,0 a 3,5 nmol MDA/mL plasma

MANGANÊS SANGUÍNEO

Sinônimos:

Método:
Espectrofotometria de Absorção Atômica com Forno de Grafite

Prazo:
Após 7 dias

Interpretação:
Uso: avaliação da toxicidade ao manganês. A toxicidade pelo manganês ocorre com mineiros, trabalhadores de fundição, soldadores, cerâmica, verniz. Valores aumentados: hepatite aguda, infarto do miocárdio. Valores diminuídos: fenilcetonúria, malformação óssea (alguns pacientes). A deficiência de manganês não é uma ocorrência comum, pois as fontes alimentares prevêem uma provisão adequada deste elemento essencial.

Referência:
4,0 a 16,5 ug/L

MANGANÊS SÉRICO

Sinônimos:
Manganês sérico

Método:
Espectrofotometria de Absorção Atômica com Forno de Grafite

Prazo:
Após 7 dias

Interpretação:
Uso: avaliação da toxicidade ao manganês. A toxicidade pelo manganês ocorre com mineiros, trabalhadores de fundição, soldadores, cerâmica, verniz. Valores aumentados: hepatite aguda, infarto do miocárdio. Valores diminuídos: fenilcetonúria, malformação óssea (alguns pacientes). A deficiência de manganês não é uma ocorrência comum, pois as fontes alimentares prevêem uma provisão adequada deste elemento essencial.

Referência:
Novo valor de referência a partir 23/05/12: Até 2,9 ug/L Método desenvolvido in house pelo Alvaro Centro de Análises e Pesquisas Clínicas. Valores de referência antigo: Até 2,0 ug/L

MERCÚRIO SANGÜÍNEO

Sinônimos:

Método:
ICP-MS

Prazo:
48 horas

Interpretação:
Uso: avaliação da intoxicação por mercúrio. A intoxicação por mercúrio é capaz de causar ansiedade, tremores, lesões neurológicas, cegueira, surdez, doenças gastrointestinais (vômitos, diarréias, perda de peso), doenças renais, coma e até morte. A inalação representa a principal via de absorção nas exposições ocupacionais. No Brasil, é comum a intoxicação nos garimpos de ouro.

Referência:
Até 1 ug/dL Exposição Significativa ao Mercúrio Orgânico: Maior que 5,0 ug/dL Exposição Significativa ao Mercúrio Inorgânico: Maior que 20 ug/dL ATENÇÃO: Mudança de metodologia a partir de 03/07/12: Metodologia antiga: Espectrofotometria de Absorção Atômica.

METABÓLITOS DE 7-DEHIDROCOLESTEROL, sangue

Sinônimos:
Screen metabolic

Método:
Espectrometria de UV

Prazo:
30 dias

Interpretação:

Referência:
Até 1,5 mg/dL

METABÓLITOS DE ACIDO OROTICO, urina

Sinônimos:
Screen metabolic

Método:
Colorimétrico

Prazo:
30 dias

Interpretação:

Referência:
Inferior ou igual a 14 ug/mg creat.

METABÓLITOS DE ÁCIDO SIÁLICO, urina

Sinônimos:
Ácido siálico total e livre.

Método:
Diversos

Prazo:
30 dias

Interpretação:

Referência:
Ácido Siálico Livre: 7 - 71 uM/mol creat. Ácido Siálico Total: 12 - 107 uM/mol creat.

METABÓLITOS DE ÁCIDOS ORGÂNICOS URINÁRIOS QUALITATIVA

Sinônimos:
Screen metabolic

Método:
Diversos

Prazo:
30 dias

Interpretação:

Referência:
Perfil Normal

METABÓLITOS DE GLICOSAMINOGLICANOS QUANTITATIVO, urina

Sinônimos:
Screen metabolic

Método:
Eletroforese e colorimétrico dimetil blue

Prazo:
30 dias

Interpretação:
A excreção urinária dos GAGs pode estar alterada em seres humanos em casos de neoplasias, diabetes mellitus, osteoartrite, aterosclerose, hipertensão arterial, leiomioma, lúpus eritematoso e mucopolissacaridose, dentre outros. Heparan sulfato (HS), dermatan sulfato (DS), condroitin sulfato (CS) e queratan sulfato (QS), ácido hialurônico ou hialuronana.

Referência:
Até 06 Meses: 133 - 460 ug/mg Creatinina Eletroforese de Glicosaminoglicanos: De 06 Meses a 1 Ano: 133 - 274 ug/mg Creatinina Padrão Normal De 01 a 2 Anos: 79 - 256 ug/mg Creatinina De 02 a 03 Anos: 68 - 188 ug/mg Creatinina Glicosaminoglicanos: De 03 a 05 Anos: 67 - 124 ug/mg Creatinina 0 a 3 anos: 68 a 186 De 05 a 07 Anos: 53 - 115 ug/mg Creatinina De 07 a 09 Anos: 44 - 106 ug/mg Creatinina De 09 a 14 anos: 26 - 97 ug/mg Creatinina De 14 a 18 Anos: 13 - 59 ug/mg Creatinina > 18 anos: 13 - 45 ug/mg Creatinina

METABÓLITOS DE SUCCINILACETONA, plasma

Sinônimos:

Método:
Colorimétrico

Prazo:
45 dias

Interpretação:

Referência:
Inferior ou igual a 2,00 umol/L

METANEFRINAS TOTAIS E FRAÇÕES

Sinônimos:

Método:
Cromatografia Líquida de Alto Desempenho (HPLC)

Prazo:
7 dias

Interpretação:
Uso: diagnóstico e avaliação de feocromocitoma; diagnóstico de tumores produtores de catecolaminas; diagnóstico de hipotensão postural. As catecolaminas são sintetizadas nas células cromafins do sistema nervoso simpático (epinefrina pela medula adrenal e norepinefrina e dopamina pela medula adrenal e neurônios simpáticos pós-ganglionares). Circulam no plasma em formas livres e ligadas a proteínas (albumina, globulinas e lipoproteínas). As catecolaminas plasmáticas exibem considerável grau de variabilidade fisiológica (stress, por exemplo). Conseqüentemente, as amostras devem ser obtidas de pacientes em posição supina e algum tempo após a venipuntura. As dosagens plasmáticas podem ser realizadas após estimulação. Em pacientes com hipertensão paroxística, a sensibilidade do teste pode ser aumentada iniciando a coleta após o episódio. O padrão de catecolaminas difere segundo a forma de tumor: feocromocitomas geralmente produzem norepinefrina e epinefrina; paragangliomas secretam norepinefrina e neuroblastomas também produzem dopamina. As metanefrinas urinárias são consideradas o melhor teste de triagem para feocromocitoma. Os níveis de catecolaminas e metanefrinas podem ser interpretados em relação à concentração de creatinina da amostra. As catecolaminas são excretadas na urina na forma intacta ou como metabólitos (metanefrinas e ácido vanilmandélico). Valores aumentados: feocromocitoma, ganglioneuromas, neuroblastomas, stress severo, hipoglicemia, certos medicamentos (metildopa, isoproterenol, nitratos, minoxidil, hidralazina), tabagismo, consumo de café. Valores diminuídos: hipotensão postural, síndrome Shy-Drager e disautonomia familiar.

Referência:
Metanefrina Totais : até 1000,0 ug/24h Metanefrina: até 320,0 ug/24h Normetanefrina: até 390,0 ug/24h

METIL ISOBUTIL CETONA

Sinônimos:

Método:
Cromatografia Gasosa

Prazo:
15 dias

Interpretação:

Referência:
IBMP* : 2,00 mg/L *Índice Biológico Máximo Permitido(NR-7,1994).

METOTREXATE

Sinônimos:

Método:
Enzima imunoensaio

Prazo:
48 h

Interpretação:
Acompanhar pacientes em uso de metotrexate (antineoplásico).

Referência:
Protocolo BFM 95 Hora 24 : < 150,0 umol/L Hora 36 : < 3,0 umol/L Hora 42 : < 1,0 umol/L Hora 48 : < 0,4 umol/L Protocolo Hiper CVAD Hora 24 : < ou = 20,0 umol/L Hora 48 : < ou = 1,0 umol/L Hora 72 : < ou = 0,1 umol/L Horas do ínicio da infusão do MTX

MICROALBUMINÚRIA - 12h

Sinônimos:
Microproteinúria 12 horas

Método:
Imunoturbidimetria

Prazo:
48h

Interpretação:
Ver Microalbuminúria.

Referência:
Normal: < 15,0 mg/12h ATENÇÃO: Nova metodologia a partir de 29/08/2011. Metodologia Anterior: Nefelometria

MICROALBUMINÚRIA - 24h

Sinônimos:
Microproteinúria 24 hroas

Método:
Imunoturbidimetria

Prazo:
48h

Interpretação:
Ver Microalbuminúria.

Referência:
Normal : < 30,0 mg/24h

MICROALBUMINÚRIA - 6h

Sinônimos:
Microproteinúria 6 horas

Método:
Imunoturbidimetria

Prazo:
48h

Interpretação:
Ver Microalbuminúria.

Referência:
Normal: < 15,0 mg/6h

MICROALBUMINÚRIA - Amostra isolada

Sinônimos:
Microproteinúria

Método:
Imunoturbidimetria

Prazo:
48h

Interpretação:
Uso: acompanhamento de diabetes mellitus. Considera-se a presença de microalbuminúria quando a excreção urinária é maior que 30 mg/24 horas; níveis maiores que 300 mg/24 horas indicam a presença de macroalbuminúria. A presença de microalbuminúria em diabéticos indica comprometimento renal; quando os níveis forem menores que 300 mg/24 horas é possível reverter ou retardar o prognóstico do dano renal. Grandes volumes urinários em pacientes diabéticos podem causar resultados falsamente negativos. Nestes casos é aconselhável dosar os níveis de microalbumina, em amostras coletadas pela manhã, repetindo a análise com intervalo de 2 semanas.

Referência:
Normal: < 26,0 mg/g de creatinina ATENÇÃO: Nova metodologia a partir de 29/08/2011. Metodologia Anterior: Nefelometria

MICROSPORIDEOS - Pesquisa

Sinônimos:

Método:
Ziehl - Neelsen Modificado

Prazo:
24h

Interpretação:

Referência:
Negativa

MIELOGRAMA

Sinônimos:
Punção de medula óssea

Método:
Coloração

Prazo:
Após 24:00 hs

Interpretação:
O estudo da medula óssea está indicado na investigação diagnóstica e acompanhamento de anemias, leucemias, síndromes mielodisplásicas, púrpuras, agranulocitose, mieloma, tumores metastáticos e monitorização do tratamento com quimioterápicos. É útil nas doenças de depósito em que se verifica a presença de tipos celulares característicos com nas mucopolissacaridoses, Gaucher, Niemann Pick e outros. Permite também o encontro de agentes infecciosos como leishmânias, toxoplasmas e plasmódios.

Referência:

MIELOPEROXIDADE, ANTICORPOS

Sinônimos:
Anca P; MPO

Método:
Imunoenzimático

Prazo:
15 dias

Interpretação:
- Os anticorpos antimieloperoxidase (MPO) correspondem aos anticorpos anticitoplasma de neutrófilo com padrão perinuclear (p-ANCA), quando investigados por imunofluorescência indireta (IFI), e sua pesquisa é útil para o diagnóstico das vasculites. Esses marcadores sorológicos são detectados em 50% dos casos de poliangiites microscópicas, em 50% das glomerulonefrites rapidamente progressivas com crescentes, em 30-40% dos portadores de síndrome de Goodpasture e em 35% dos indivíduos com síndrome de Churg-Strauss. Os anticorpos contra MPO também podem ser encontrados em casos de nefrite lúpica, poliarterite nodosa, retocolite ulcerativa, colangite primária esclerosante e também em síndromes vasculíticas induzidas por drogas. O International Consensus Statement on Testing and Reporting of ANCA recomenda que, sempre que houver possibilidade, a pesquisa desses anticorpos seja feita pelas técnicas de imunofluorescência indireta (IFI) e Elisa, baseando-se no fato de que cerca de 10% a 15% dos casos positivos para anticitoplasma de neutrófilos (ANCA), pesquisados pela IFI, são negativos pelo método Elisa, enquanto em outros 5% as reações só se mostram positivas por Elisa. Assim, o soro de um indivíduo previamente positivo para ANCA pela IFI ou pelo Elisa pode ser testado subseqüentemente apenas por um desses métodos. Convém adicionar que a pesquisa de anti-MPO por Elisa é uma alternativa para a investigação de anticorpos anticitoplasma de neutrófilo perinuclear (p-ANCA) nas situações em que se detectam anticorpos antinúcleo (FAN) no soro do paciente, visto que estes últimos mascaram a pesquisa de p-ANCA quando reagem com o núcleo do neutrófilo.

Referência:
Não reagente : Inferior a 0,9 Indeterminado : Entre 0,9 a 1,1 Reagente : Superior a 1,1

MIOCÁRDIO - Anticorpos anti

Sinônimos:
Anticorpos anti-miocardio

Método:
Imunofluorescencia indireta

Prazo:
15 dias

Interpretação:
Valores aumentados: síndrome de Dressler, cardiomegalias, hipertensão sistêmica (associada a imunopatia autoimune), febre reumática aguda.

Referência:
Negativo : < 1/10

MIOGLOBINA

Sinônimos:
MIO

Método:
Quimioluminescência

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de infarto do miocárdio. A mioglobina é uma proteína monomérica do grupo heme, consistindo em um polipeptídio esferóide que contém 153 aminoácidos. A mioglobina é estruturalmente relacionada à hemoglobina. Durante o curso de um infarto do miocárdio, a mioglobina é liberada do músculo esquelético cardíaco, podendo alcançar níveis 5-10 vezes maiores que o normal, durante as primeiras 5-18 horas. Correlaciona-se bem com as elevações da creatina quinase, retornando a valores normais após 24 horas. Valores aumentados: após traumas, injeções intramusculares, miopatias, uremias, insuficiência renal. Valores diminuídos: polimiosite, artrite reumatóide, miastenia gravis. Interferentes: lovastatina.

Referência:
21,0 a 72,0 ng/mL

MIOGLOBINA URINÁRIA

Sinônimos:
Mioglobinúria

Método:
Colorimétrico

Prazo:
12h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de miopatias. Ver Mioglobina.

Referência:
Negativo : ausência de mioglobina Metodologia desenvolvida e validada pelo Alvaro Centro de Análises e Pesquisas Clínicas.

MONONUCLEOSE - Anticorpos heterófilos

Sinônimos:
Sorologia para o vírus Epstein baar, Paul Bunnel

Método:
Aglutinação

Prazo:
48h

Interpretação:
Uso: diagnóstico da mononucleose infecciosa; pesquisa de anticorpos heterófilos. Os anticorpos heterófilos reagem com antígenos de superfície de eritrócitos de carneiro e cavalo, mas não com antígenos de células renais de cobaia. Estes anticorpos estão presentes em cerca de 90% dos pacientes com mononucleose infecciosa (MI), durante algum momento da evolução da doença. Os títulos de anticorpos heterófilos diminuem após a fase aguda da mononucleose infecciosa, podendo ser detectados até 9 meses após o início da doença. A presença de anticorpos heterófilos em crianças pode dar resultados falso negativos em até 40% dos casos (em adultos até 10%). Por esta razão o uso da pesquisa de anticorpos específicos passa a ser rotina no diagnóstico laboratorial de MI. A confirmação do diagnóstico é feita com a pesquisa de anticorpos específicos da classe IgM contra o antígeno do vírus capsídeo (VCA). Estes anticorpos são detectados 1 a 2 semanas após a infecção.

Referência:
Não reagente : ausência de anticorpos Reagente : presença de anticorpos Pesquisa de anticorpos heterofilos associados a mononucleose infecciosa *** Outros testes disponiveis em nossa rotina *** a. Anticorpos anti EB (IgG e IgM) - QUIMIOLUMI- NESCÊNCIA. Obs: Em criança é frequente a ausência de anti- corpos heterofilos (Monotest e Paul Bunnel) e reacoes positivas para Epstein baar (Qumiolumi- nescência).

MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS - Anticorpos IgG

Sinônimos:

Método:
ELISA

Prazo:
48 h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de tuberculose. Ver Mycobacterium tuberculosis - Detecção por PCR.

Referência:
Não reagente

MYCOPLASMA PNEUMONIAE - Anticorpos

Sinônimos:

Método:
ELISA

Prazo:
48 h

Interpretação:
Uso: diagnóstico de pneumonia (infecções do trato respiratório). A incidência precisa da infecção por M. pneumoniae é desconhecida, porque habitualmente não é pesquisado o agente etiológico das infecções respiratórias. Estudos prospectivos sugerem que o M. pneumoniae é responsável por 15 a 20% das doenças respiratórias em adultos, sendo causa comum de pneumonia em crianças na idade escolar. A presença de anticorpos da classe IgM ocorre 7 a 14 dias após os primeiros sintomas, sugerindo infecção aguda (podendo persistir em baixos níveis até 12 meses após a infecção). Anticorpos IgG positivo e IgM negativo indicam exposição prévia. Para descartar IgM residual (quando os níveis de IgM são baixos), sugere-se repetir a análise após uma ou duas semanas. Crioaglutininas podem estar presentes na fase aguda em 30 a 60% dos pacientes; no entanto, este achado é inespecífico, pois isoladamente não é útil para o diagnóstico. A presença de Mycoplasma pneumoniae deve ser considerada em pacientes com infecção respiratória aguda, associada ao insucesso terapêutico com o uso de antibióticos beta lactâmicos.

Referência:
IgG Não reagente : Inferior a 9,0 Inconclusivo : 9,0 a 11,0 Reagente : > 11,0 IgM

© 2020. Vitale Laboratório. Todos os direitos reservados.
Topo